terça-feira, setembro 15, 2009

VIVIANE RIBEIRO DO COMBATE!!!








VIVIANE RIBEIRO ENTREVISTA.

1 – Quando a Viviane optou por ser Jornalista ?

Eu já trabalha com publicidade desde os dez anos. Fiz comerciais, fiz curso de interpretação pra TV e resolvi ser atriz. Trabalhei no teatro e entrei para o time da Malhação em 1996. Lá fiquei por sete meses e terminei o segundo grau. Nessa época eu pensava em cursar jornalismo, marketing ou relações públicas. Decidi por Comunicação Social/ Jornalismo. Eu queria seguir com TV e acreditei que essa faculdade me daria base para isso. E logo nos primeiros períodos surgiu a oportunidade de entrar para o Combate.

2 – Antes mesmo de você conhecer o Mundo da luta, quais esportes te enchiam os olhos, que você gostava de ver ?

Antes de me apaixonar por luta eu adorava assistir jogos de vôlei, inclusive foi um esporte que pratiquei quando tinha doze anos e amava! Queria um time para voltar a jogar. Seria ótimo!

3 - Rebuscando um pouco no passado, o que você tem na lembrança da sua primeira matéria no Combate ?

Nossa! Uma das minhas primeiras matérias foi o Vida de Atleta com o Minotauro. Estávamos ainda pensando como seria o formato desse quadro. E foi maravilhoso começar com ele. O Rodrigo deixou a equipe muito à vontade e conseguimos passar o dia com ele e mostrar a rotina do brasileiro.

4 – Qual a matéria que você considera que foi um divisor de águas na sua carreira de repórter de lutas ?

Divisor de águas? Não sei! Mas fazer cobertura de eventos ao vivo foi uma experiência maravilhosa. O Jungle Fight Ceará me marcou muito. Eu estava ansiosa, nervosa e feliz por aquele momento. Não dá pra explicar em palavras. Isso sem falar na emoção de ver o Rogério Minotouro lutando ao vivo e ainda entrevistá-lo após a vitória. Nossa! Foi demais! Talvez o Jungle tenha sido um divisor de águas.

5 – Cite-nos dois eventos que ficaram marcados até hoje e porquê ?

Já citei o Jungle mas vou escolher outros dois. Gostava muito do Demolittion Fight – evento de Muay Thai – organizado pelo Maurício Netto. Era muito bacana. Pena que acabou. As lutas eram boas, produção e organização impecáveis... eu adorava trabalhar nesse evento. E o Fury Fight eu também curtia bastante pelos mesmos motivos.

6- Dentro da sua ótica, quais as grandes conquistas que os esportes de lutas ja alcançaram e o que seria de necessidade vital para o crescimento e maior reconhecimento deles ?

São várias conquistas: os cinturões do Anderson e do Lyoto. A TV aberta está começando a abrir espaço para lutas. O que já é incrível! Com isso, mais empresários investem no mercado. Resultado: mais eventos de MMA surgem no Brasil. O crescimento é nítido mas não o suficiente para alavancar o esporte. Precisamos de mais apoio aos atletas, mais investimento na luta como um todo porque ainda há preconceito. Acabando com essa imagem, os patrocinadores vão associar suas marcas ao esporte e ninguém vai segurar o estouro do MMA no Brasil.

7 – Uma coisa que uma mulher nunca deve fazer para ser uma repórter de lutas e outra que ela não pode deixar de fazer ?

Uma repórter de luta nunca pode deixar de ser feminina e informada. E não pode deixar de se impor, afinal é um meio predominantemente masculino... a gente tem que fazer valer a nossa opinião, não ter frescura ( já que o tatame é “cheiroso”... rsrs ), saber o que está falando e o principal, gostar de luta!!!

8 – O que mais te entristece e o que mais te motiva a ser a Viviane Ribeiro, repórter de lutas ?

O que mais me entristece é o fato dos lutadores não conseguirem viver somente do esporte. A maioria não consegue. E o que mais me motiva é assistir essa virada! Ver o esporte crescer ainda mais e o próprio meio dar condições aos atletas de uma vida tranqüila, totalmente dedicada às lutas. As coisas estão mudando e a tendência é que isso aconteça naturalmente.

9 – Como é ser de um canal cem por cento lutas, fazer parte dessa grande evolução nasArtes Marciais dentro do Brasil ? E Considerações finais, agradecimentos, mensagem, espaço seu !

É muuuuito bom! Eu adoro o mundo das lutas.Sou apaixonada! Durante esses anos em que estou no Combate, descobri que a luta é a minha cachaça!!! Rsrsrsrsrs

Eu vi muita coisa acontecer: vi atletas começando, atletas despontando, atletas que sumiram do cenário nacional e internacional, atletas que conquistaram o título de melhores do mundoe quando digo que vi, foi de perto. Acompanhei cada passo deles. Na beira do ringue eu vibrei ( por dentro!!!), eu chorei de emoção, venci minhas barreiras, me realizei e internamente, nunca deixei de torcer, tenho sangue quente e minhas preferências... mas não devo externar. Então eu repito, essa é a minha cachaça, a minha paixão, o meu trabalho e o meu lazer. Que a gente possa contar cada vez mais com o apoio dos amantes da luta, dos atletas e daqueles que começam a sentir tudo isso que nós, todos nós envolvidos no mundo da luta, sentimos, para que o futuro do nosso esporte no Brasil seja tão grandioso como lá fora!

Muito obrigada pelo carinho,


Viviane Ribeiro.


3 comentários:

Leandro disse...

Sou seu fã Olivar , parabens pelo trabalho no bitetticombat ,eu tambem estava lá na arquibancada !
Vc sabe dizer que dia e onde vai rolar o jungle fight em outubro no Rio de Janeiro ? Como faço para ter um contato direto com vc ,sem ser comentando posts ? tem algum link de contato direto ?
meu email e msn é lefontes_rj@hotmail.com
Qualquer novidade de eventos de MMA no Rio me passe por email !
Abraço

julião disse...

Vivi, minha musa, o sorriso mais lindo da TV,te adoro e fico feliz quando vc aparece na telinha e ilumina a sala...
Julião, teu admirador eterno.

Gerson Rissin disse...

Parabéns pelas entrevistas da programação de hoje à noite. Como sempre, com muita segurança e com total conhecimento do assunto.
Abração.